5 problemas devido à incorreta impermeabilização de piscinas

Foto por Pixabay em Pexels.com

Fundamental para garantir estanqueidade, a impermeabilização de piscinas deve ser realizada com sistemas especificados após análise de diversos fatores

O período de altas temperaturas chegou – e como estão altas! Junto com ele, o aumento na procura por momentos refrescantes nas indispensáveis piscinas. Porém, quando não impermeabilizadas corretamente, as piscinas são bastante suscetíveis a vazamentos e infiltrações, o que poderia transformar os momentos de lazer em uma enorme dor de cabeça.

Nas piscinas de concreto e alvenaria, a solução para evitar problemas pode se basear tanto em sistemas impermeabilizantes moldados in loco, quanto nos sistemas pré-moldados. Para determinar o método mais apropriado, o projeto de impermeabilização deve levar em conta fatores como dimensões, forma, variação térmica, revestimento, condições de uso e, principalmente, tipo de apoio da piscina em relação ao solo (se enterrada, semienterrada, apoiada no solo ou elevada). Além disso, deve contemplar detalhes de arredondamento de cantos, fixação de elementos passantes e indicar/dimensionar juntas de trabalho capazes de absorver a movimentação decorrente das tensões térmicas ou do contato de materiais com diferentes coeficientes de dilatações.

Abaixo, os especialistas do Instituto Brasileiro de Impermeabilização (IBI Brasil), listaram 5 problemas que podem causar infiltrações nas piscinas:

  1. Dimensionamento incorreto da estrutura da piscina;
  2. Falha na escolha ou execução do sistema de impermeabilização;
  3. Desconhecimento de elementos da obra, como o nível do lençol freático;
  4. Má execução de sistemas de construtivos (alvenaria, concretagem, revestimento);
  5. Fixação inadequada de elementos, posteriormente à impermeabilização.

Para evitar esses tipos de problemas, ao finalizar os procedimentos de execução da impermeabilização, deve-se realizar o teste da estanqueidade por 72 horas para checar a existência de vazamentos. Além disso, a piscina deverá ser cheia lentamente para evitar impactos que danifiquem a impermeabilização.

Como ocorre em todo o sistema construtivo, é importante submeter a impermeabilização de piscinas a inspeções periódicas para verificar a necessidade de manutenção. Ralos, rodapés, pontos de iluminação e acessórios são pontos críticos e devem ser resolvidos durante a construção da piscina. Também é importante verificar a necessidade de estruturar a argamassa de revestimento com tela plástica para garantir sua estabilidade nos panos verticais.

Para a impermeabilização de piscinas elevadas e enterradas, como sugestão, poderão ser utilizadas as membranas de poliuretano para impermeabilização, membrana de polímero acrílico com ou sem cimento, manta asfáltica ou manta de PVC. No caso das piscinas enterradas, deverá ser verificado primeiro se existe lençol freático ou umidade e, em caso afirmativo, a questão deverá primeiro ser corrigida antes de aplicar o sistema impermeabilizante.

No caso de edificações habitacionais, a ABNT NBR 15575:2013 estipula uma Vida Útil de Projeto (VUP) de 20, 25 ou 30 anos, e você poderá baixar no site do IBI (https://ibibrasil.org.br/biblioteca-zeno-pirondi/) tanto o Guia de Aplicação da Norma de Desempenho para Impermeabilização, quanto as diretrizes para o manual de uso, operação e manutenção da impermeabilização. Em ambos os e-books é possível encontrar sugestões de especificação para impermeabilização de piscinas enterradas e elevadas e suas respectivas manutenções.

E lembre-se: impermeabilizar representa um custo em torno de 1 a 3% do valor total da obra. Em compensação, corrigir infiltrações e vazamentos pode custar pelo menos 4x mais, sem contar o desgaste com todo o processo.

IBI – Instituto Brasileiro de Impermeabilização, fundado em 15 de abril de 1975,  entidade técnica sem fins lucrativos,  tem como finalidade principal o estudo, a pesquisa, o desenvolvimento de produtos, serviços de sistemas de impermeabilização e/ou segmentos afins, tais como reabilitação de estruturas, concreto, dentre outros, sempre ligados à construção civil.

Sobre o IBI Brasil:

Na qualidade de referência técnica em impermeabilização e segmentos afins, constitui-se naturalmente como o  fórum nacional de normalização do setor, congregando em seu quadro associativo os diversos agentes da cadeia produtiva, tais como: fabricantes, aplicadores, distribuidores/revendedores, projetistas/consultores, construtores/consumidores, entidades de classe, instituições públicas ou privadas, pessoas físicas e sócios fundadores.

Acesse: https://ibibrasil.org.br/

EVCOM
Mariana Seman
(11) 97159-0153
mariana@evcom.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s